Administrador que não é competente em processo decisório ainda não é administrador

sexta-feira, 17 de novembro de 2017
Compartilhar:



17/11/2017
Administrador que não é competente em processo decisório ainda não é administrador

Para que uma pessoa entenda de processo decisório é preciso que ela saiba o que é PCDA, ou seja, perceber, compreender, decidir e agir

Por J.Augusto Wanderley

Administradores já existem há mais de 4.600 anos como Hemiunu na construção da Pirâmide de Quéops no Egito, que foi por muito tempo a maior obra da humanidade. De acordo com Peter Drucker, “O dever fundamental da administração é tornar possível às pessoas o trabalho conjunto, dando a elas objetivos comuns, valores comuns, a estrutura certa e o treinamento e desenvolvido de que elas precisam para reagir e atuar sobre as mudanças”. E ainda, de acordo com Drucker, “O produto final do trabalho de um administrador são decisões a ações”. E Hemiunu tomou 3 decisões básicas:

  1. Definiu o seu objetivo e visão do futuro
  2. Identificou o que precisa ser feito para que o objetivo fosse alcançado
  3. Levantou todas as condições necessárias e suficientes para que tivesse sucesso

E uma vez tomadas estas três decisões, agiu. Muita ação e correção de desvios até que os objetivos fossem alcançados. E este procedimento foi o mesmo adotado pela NASA quando enviou um ser humano à Lua em julho de 1969. Mas o que deve ficar claro é que o processo decisório é fundamental não apenas para empresas e instituições, mas também para pessoas. Assim, o que somos hoje é fruto de nossas decisões e ações do passado e o que seremos amanhã consequência de nossas decisões e ações do presente.

Portanto:

  • É nos momentos de decisão que o nosso destino é definido
  • São nossas decisões e não as condições de nossa vida que moldam o nosso destino
  • Você começa a mudar a sua existência no momento que toma uma nova decisão. Você deve saber que a qualquer momento uma decisão pode mudar o curso de sua vida para sempre
  • Na grande maioria, são as pequenas decisões ao longo do caminho que fazem com que as pessoas fracassem
  • A verdadeira decisão importa em ação. É pela ação que se sabe a verdadeira decisão de uma pessoa e não pelo seu discurso

E para que uma pessoa entenda de processo decisório é preciso que ela saiba o que é PCDA, ou seja, perceber, compreender, decidir e agir. E tudo começa com a percepção, que é a chave do comportamento. Mas se percebe para compreender e avaliar. Warren Buffet, um dos maiores megabilionários do mundo, quando perguntado sobre a razão do seu sucesso respondeu que ela se devia a sua capacidade de avaliação. E o processo de perceber, compreender, decidir e agir é fundamental e é utilizado de várias formas e em várias situações e contextos. As forças armadas americanas sabem que o sucesso na guerra depende da qualidade do PCDA. Consequentemente, fazem tudo para que o seu tenha qualidade e procuram fazer tudo para que o do inimigo seja completamente equivocado. Assim, na 2ª Guerra Mundial, antes da invasão da Normandia, foram usados muitos artifícios para que o PCDA dos alemães fosse de baixíssima qualidade, inclusive com a construção de um exército falso, idealizado por diretores de cinema e localizado numa região da Inglaterra que dava a impressão de que o ataque ao continente europeu seria efetuado por Calais.

Mas o que deve ficar claro é que o processo decisório não é apenas cognitivo, mas cognitivo comportamental. Portanto, só ler livros sobre processo decisório não basta, é precioso praticar para se saber tomar decisões em situação de tensão como fez o comandante Chesley Sullenberger III no chamado Milagre do Rio Hudson. Assim que o avião levantou voo, pássaros entraram na turbina do avião, que perdeu a força, e ele teve que tomar uma decisão extremanete rápida sobre o que fazer diante da situação, que foi a de pousar no Rio Hudson.

Portanto, um administrador precisa ficar consciente de que quer queira ou não, ele estará sempre decidindo e agindo e a história dos irmãos Curtice pode ser muito elucidativa. Ambos nasceram e se criaram em Flint, Michigan. Quando começaram a trabalhar, conseguiram um emprego na fábrica de pintura da Fisher - Uma divisão da General Motors, em Flint. Quando o irmão mais velho se aposentou, aos 65 anos de idade, estava exatamente onde começou, na Oficina de Pintura. Enquanto isto, o seu irmão Harlow Curtice havia se tornado Presidente da General Motors. E o que fez a diferença entre os dois irmãos é tratado no meu e-book O Poder da Ação Inteligente, onde são abordados assuntos como os conceitos fundamentais do processo decisório, o Campo de Forças de Kurt Lewin, a paixão por vencer, a dinâmica emocional, o sabotador interno e as frases assassinas, a mente consciente e a mente inconsciente.

Assim, é preciso que se tenha presente que em termos de processo decisório também vale a música do compositor Billy Blanco: “O que dá para rir também dá para chorar”. E que ninguém poderá ser um administrador de sucesso sem que domine e pratique os fundamentos do processo decisório.

Link: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/administrador-que-nao-e-competente-em-processo-decisorio-ainda-nao-e-administrador/107905/

Fonte: Administradores

As matérias aqui apresentadas são retiradas da fonte acima citada, cabendo à ela o crédito pela mesma.



Comentários





Logo
Sindicato dos Contabilistas do Município do Rio de Janeiro
Rua Buenos Aires, 283 - 2ºandar
Cep: 20061-003 Centro - Rio de Janeiro/RJ
Fone: (21) 2224-2281
E-mail: sindicont-rio@sindicont-rio.org.br
Filiado a:




Gestão 2014 - 2018 | SINDICONT-Rio. Todos os Direitos Reservados Grupo Octagon